O Iluminado: Jack Torrance X O Estranho, De Freud

Durante o inverno, um homem (Jack Nicholson) é contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo em que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo.

Atividade paranormal, o poder do sobrenatural e a esfera mística possuídos em O Iluminado é uma representação do universo psicológico e não tanto uma força externa fantasmagórica capaz de controlar o comportamento humano. Na tentativa de repelir o lado sombrio que habita na mente, projeta-se o conteúdo nebuloso no mundo externo por meio de assombrações, demônios e monstros, mantendo uma distância de possíveis descobertas desagradáveis sobre nós mesmos.

Para algumas pessoas, a solidão e o isolamento podem ser um problema.

O ESTRANHO, DE SIGMUND FREUD

Reconfortante seria explicar o mal somente através de elementos místicos e paranormais do que acreditar nas atrocidades que o ser humano é capaz de praticar. Conteúdos bizarros fazem parte da natureza humana. É mais fácil acreditar que o monstro mora longe de nós, mas para a psicanálise de Freud ele pode ser também familiar.

Antes de dirigir O Iluminado, Stanley Kubrick leu um texto de Freud chamado “O Estranho”, essa seria provavelmente sua maior fonte de inspiração para o filme. Assim, ele criou o clima de tensão e a dissociação dos personagens, importantes para manter o espectador preso na história, angustiado sem saber qual será o fim do mistério que circula pelos cômodos e corredores do Hotel Overlook.

Segundo Freud, o estranho é ao mesmo tempo misterioso e familiar. Seria nossa parte obscura, por isso existe um movimento inconsciente de enterrá-lo no fundo do psiquismo como uma forma de proteção para não despertá-lo. Apesar de ser oculto, alguns fragmentos do estranho tendem a escapar do inconsciente. O Hotel Overlook apresenta um simbolismo capaz de revelar o lado tenebroso de Jack Torrance.

O elemento que amedronta pode mostrar-se ser algo reprimido que retorna. 

Freud (O Estranho, 1919)

O conceito de estranho que habita em todos nós é retratado em muitas histórias através da metáfora do duplo. Jack é imprevisível e sofre “duplicações” e “clivagens”, desempenhando dois papéis distintos. Ele é o pai e marido provedor da família, porém quando bebe fica agressivo e se torna uma ameaça. Do meio ao fim do isolamento no Hotel Overlook, ele traz à tona sua faceta violenta, insana e assassina, somado ao gatilho do alcoolismo, seu lado obscuro se manifestou facilmente.

O ILUMINADO: EFEITOS DO ISOLAMENTO 

Isolados do mundo externo sem contato social, entediados no confinamento do Hotel Overlook, os dois zeladores (tanto no passado como no presente) são tomados pelo descontrole, paranoia, irritabilidade, cansaço e frustração, o que provocou a instabilidade mental dos personagens. Mais uma vez, O Iluminado mostra não só o terror causado por atividades paranormais, mas também a maldade humana, a loucura e o medo.

Todos nós possuímos demônios internos que escondemos, quando predominam ao assumir o controle, nos fazem sentir fracos e vulneráveis. O personagem Jack Torrance cedeu aos seus demônios internos: o alcoolismo, a frustração de não conseguir escrever o livro, o comportamento violento e o desespero que o isolamento provocou em sua mente. Desse modo, ele entrou em surto psicótico, se tornando perigoso para Wendy e Danny.

FAMÍLIA TORRANCE

JACK

O que poderia ser o começo de uma nova fase para a família Torrance, se tornou o pior pesadelo. Jack encara o emprego de zelador e o período de isolamento como uma oportunidade para conseguir escrever seu livro, acreditando que teria inspiração. Sua obsessão com a escrita do livro o afastou da família. Ele voltou ao vício do álcool e com o tempo, entrou em colapso nervoso que é justamente a resposta à uma situação muito estressante levando todos a um transtorno psicótico.

 Muito trabalho e pouca diversão faz de Jack um cara bobão.

Durante semanas, ele datilografou na máquina de escrever uma única frase diversas vezes. Essa incapacidade de escrever sequer uma palavra da história pode denotar a ideia de que há algo preso nele, que não consegue ser expressado, vir à consciência.

Apresentando sintomas relacionados ao transtorno delirante do tipo persecutório, ou seja, a crença de ser vítima de alguma conspiração, perseguição, de ser enganado. Jack acredita que sua esposa e filho estão prejudicando o curso de sua vida profissional. Se sentindo um escritor fracassado, sem compreender o comportamento estranho do filho e o distanciamento da esposa. A partir da introjeção da macabra história do antigo zelador que matou a própria família, Jack projetou toda a sua frustração em Danny e Wendy e os tornou objetos maus e persecutórios, tentando assassiná-los, propiciando assim a tentativa da repetição da chacina, mecanismos inconscientes típicos da psicose.

WENDY

Wendy é o retrato da tradicional dona de casa e mulher submissa, ela é a representação da repressão das vontades humanas. Se comporta de certa forma negligente em relação ao bem-estar e segurança de Danny. No passado, Jack chegou em casa embriagado, agrediu e deslocou o ombro do filho. Mas, Wendy sempre justifica em sua mente as atitudes do marido como “não foi intencional”, enaltecendo o fato de que ele estava há cinco meses sóbrio. Porém, durante o isolamento ela percebe que Jack a cada dia parece mais estranho, então ela passa a ficar com medo dele. Sem ter para onde ir, com um marido possuído perseguindo-a, ilhada no Hotel Overlook, ela começa a ter visões assustadoras do passado.

DANNY

Danny é uma criança introspectiva e sensitiva, com o dom de conversar telepaticamente, por isso ele é O Iluminado assim como Dick (funcionário do Hotel). Por ser um menino solitário, ele cria um amigo imaginário chamado Tony, descrito como “o menino que mora em sua boca”. A criação de Tony se deve por Danny não ter voz ativa e seus pais não darem muita importância para o que o filho sente, pensa e fala. Além disso, essa foi a forma achada para lidar com o desamparo, conflitos e traumas vivenciados prematuramente pelo menino.

Por ser O Iluminado, Danny entra em pânico quando tem a visão dos espíritos das gêmeas (mortas violentamente pelo pai e antigo zelador do hotel) convidando-o para brincar com elas para sempre, ele entende a mensagem como um aviso premonitório de morte.

A alucinação ou visão paranormal (como você preferir denominar) de Jack, Wendy e Danny foram singulares, demonstrando a subjetividade de cada personagem. Os fantasmas e energias negativas existiam no Hotel Overlook, mas a maldade já estava em Jack, e a família Torrance trouxe seus problemas de fora para dentro do hotel. Toda violência que estava escondida veio ao consciente. A imagem de Jack dando machadadas na porta é muito mais assustadora e real que qualquer assombração do passado.

562198-warner_brossub-buzz-2806-1509475960-1cropped-image1

Se você acha que essa análise psicanalítica e psicológica do filme O Iluminado (e personagens) merece uma curtida ou comentário, apoie meu trabalho e compartilhe com mais pessoas ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s