Transtorno Bipolar

É um distúrbio psiquiátrico complexo, antigamente conhecido como psicose maníaco depressiva (PMD) e atualmente chamado, de: transtorno bipolar do humor (TBH), distúrbio bipolar ou transtorno afetivo bipolar (TAB).

Todos nós temos momentos de altos e baixos, podemos acordar certa manhã com o “pé esquerdo” de mal humor ou já acordamos positivos e passar todo dia muito entusiasmados, após uma notícia inesperada de boa. Porém, quando uma simples oscilação de humor, torna-se recorrente, durando de semanas à meses, causando sofrimento e atingindo sua vida pessoal, social ou profissional, então está na hora de pedir ajuda.

Transtorno Bipolar - blog de psicologia Melkberg - depressão - mania - sintomas - tipo - humor - episódios - leve - transtorno - bipolar
Ilustração de Erica Dal Maso

O comportamento do bipolar é desajustado e chama à atenção, devido as suas reações serem desproporcionais às circunstâncias e inadequadas ao ambiente em que está. Além disso, a autocrítica é comprometida, agindo como se estivesse sob o efeito de alguma substância psicoativa. Durante uma conversa, as pessoas ao redor não entendem o pensamento do bipolar, pois é rápido demais e desorganizado.

Aqueles que possuem o transtorno Bipolar podem apresentar tanto episódios maníacos ou hipomaníacos como depressivos ou exclusivamente episódios maníacos (euforia), o que é considerado raro.

Episódios depressivos são aqueles em que o humor da pessoa é caracterizado pela falta de energia e interesse, sentimento de culpa, sensação de cansaço, sentimento de inutilidade, falta de libido sexual, isolamento social, dificuldade de concentração, perda de apetite e pensamento de morte ou suicídio.

Já nos episódios de mania, a pessoa se sente muito bem, podendo ter: bastante energia, autoestima elevada, pouco sono, ideias grandiosas, irritabilidade e impaciência, atitudes agressivas, agitação psicomotora, compulsões, falar demais e até mesmo alucinação e delírio (em casos mais graves).

A hipomania se assemelha a mania nos sintomas, porém é mais leve, dura poucos dias e com menores consequências, o bipolar fica mais falante, sociável e ativo do que o habitual. Para o diagnóstico, é importante averiguar se o estado hipomaníaco não é decorrente do uso de antidepressivos.

Geralmente, com o passar dos anos os episódios da doença se repetem em intervalos menores e as crises de humor podem variar em grau leve, moderado ou grave e também por duração.

Transtorno Bipolar - blog de psicologia Melkberg - depressão - mania - sintomas - tipo - humor - episódios - leve - transtorno - bipolar

O TRANSTORNO BIPOLAR PODE SER CLASSIFICADO, COMO:

Tipo I – predomínio da fase maníaca (eufórica) com depressão mais leve.

Tipo II – predomínio da fase depressiva com mania mais leve (hipomania).

Misto ou não especificado – quando a pessoa apresenta sintomas de depressão e de euforia alternados no mesmo dia. Esse tipo de bipolaridade é comum não ser diagnosticado, porque o paciente pode acordar se sentindo sem energia, apático e ir melhorando no decorrer do dia, ficando bem mais alegre até o anoitecer.

Ciclotimia – forma mais leve do transtorno, envolve oscilações de humor menos graves, alternando entre hipomania e depressão leve.

Obs.: as pessoas com transtorno bipolar do tipo II ou ciclotimia podem ser diagnosticadas incorretamente como tendo apenas depressão.


A Bipolaridade é uma condição psiquiátrica relativamente frequente na população geral. Alguns fatores de maior incidência no surgimento da doença, são: histórico familiar da doença; estresse intenso; uso e abuso de substâncias; mudanças de vida e experiências traumáticas; ter entre 18 e 25 anos.

Ser portador do transtorno bipolar pode aumentar as chances de desenvolver dependência química, quando se busca na droga uma maneira de atenuar os sintomas maníacos ou depressivos.

Toda atenção dos familiares e busca por uma ajuda especializada deve ser considerava, visto que, os bipolares tem 10 vezes mais chance de cometer suicídio.

O tratamento com medicamento pode ser feito para o controle de episódios de depressão e de mania, associando antidepressivos e de antipsicóticos. A psicoterapia é muito importante para: promover a adesão ao tratamento medicamentoso, previnir as recaídas, reduzir os sintomas, melhorar a qualidade de vida do paciente e dos familiares e previnir o suicídio.

Transtorno Bipolar - blog de psicologia Melkberg - depressão - mania - sintomas - tipo - humor - episódios - leve - transtorno - bipolar

Há quem considere que o transtorno bipolar do humor “é como um animal selvagem em sua mente, pronto para escapar a qualquer momento”, e que precisa de grades fortes para ser contido. Às vezes a porteira se abre um pouco e ele volta a ameaçar – o importante é não deixá-lo à solta. A luta a ser travada com esse animal é longa e difícil, mas vale a pena – vale o resgate da própria vida.

 

Imagens – Pinterest

 

 

 

 

11 comentários sobre “Transtorno Bipolar

  1. Caca

    Sinto falta na internet de literatura de apoio aos familiares das pessoas com transtorno bipolar, pois quem convive diariamente com essas pessoas sabe como é difícil.Parabens pelo blog mas fica a minha sugestão!

    Curtido por 1 pessoa

    1. Infelizmente ainda faltam informações para ajudar famílias que convivem com alguém que possui TBH. Posso te indicar o livro “Uma Mente Inquieta” sobre uma psicóloga que era bipolar, esse livro é bem conceituado e acho que pode ajudar nesse outro ponto de vista também. Considero desde já a sua sugestão sobre um conteúdo de apoio à família. Muito obrigada, Caca! 😊✨✨

      Curtir

    2. Olá, Caca!

      Estou voltando aqui pra te dar dois posts sobre o assunto que você me sugeriu, eles são complementares e servem para qualquer tipo de transtorno, você pode ler clicando em cima.

      Saúde Mental e Saúde da Família – dicas para os cuidadores

      Sobrecarga Familiar – o sofrimento psíquico que habita no ambiente doméstico

      Espero que o conteúdo te agrade. Achei sua idéia ótima e pode ajudar muitas pessoas. Se você gostar, pode dar sua opinião ou seu like que vou adorar receber 😊

      Curtir

  2. Olá, Marcos Costa!

    O diagnóstico tardio dificulta muito a vida do portador de qualquer doença da mente/corpo, sua vida fica dividida em “antes e depois do diagnóstico”, agora você entrou numa nova etapa a ser enfrentada.

    Acredito que informação é tudo, seja ela transmitida pelos livros ou mesmo pela sétima arte. Já a religião pode ser um facilitador ou não na vida das pessoa, por isso que não deve ser imposta, todos temos o livre-arbítrio e independente da existência de Deus, acredite em você mesmo e lute por sua vida, pois a única certeza, é que temos apenas uma.

    Boa sorte nessa caminhada, nunca desista de você, continue seu tratamento e busque sempre conforto nas coisas que podem te proporcionar qualquer tipo de bem estar. Obrigada pelo comentário e seja bem-vindo!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s