NISE – o coração da loucura

Quem foi Nise? Se você não sabe, esse filme é uma ótima oportunidade para conhecer essa grande mulher e forte figura feminina que se contrastou ao cenário da medicina repleto por homens médicos e acabou revolucionando o tratamento e a atenção dada aos pacientes psiquiátricos, sendo a pioneira no processo da luta antimanicomial.

Tudo se inicia com a Dra. Nise da Silverira chegando no Centro Psiquiátrico Nacional Pedro II, em Engenho de Dentro (RJ) no ano de 1946, afim de trabahar no hospital, porém ao se deparar com o portão trancado, o ambinete nada receptivo já dava o recado a recém chegada psiquiatra. E pelo olhar de Nise, aquela que não sabia ainda o que estava por vir, o filme é contado. 

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente
Ambiente “frio”, sem calor humano e sensação de abandono em meio a cadeados e grades.

Durante o assistir do filme, a sensação de abandono e exlusão dos pacientes psiquiátricos é inevitável e muito bem transmitida, dando a impressão de estar na pele da Dra. Nise. Outro aspecto, é o medo que os próprios funcionários induzem a todos que são considerados sãos por eles, de manter certo distanciamento dos pacientes como uma forma de precaução.

Toda linguagem médica torna o ambiente ainda mais hostil. Mas, Nise da Silveira apareceu para tranformar a hostilidade em afeto. Com muita cautela, ela foi conhecendo aos poucos o hospital, e colocando sua opinão mesmo que contrária aos médicos autoritários e sabichões da alta cúpula do hospital.

A todo intante, Nise é avisada por pequenos gestos agressivos que sua opinião não interessava aos demais médicos, e até mesmo o machismo se impõe em certos momentos quando todos médicos olham e se dirigem a ela, através de uma fala que demonstra desprezo e deboche.

Nise não era bem-vinda, não se importavam com ela e não estavam preocupados com seu trabalho, somente queriam que ela seguisse as regras do hospital e nada mais, porém com muita sutileza, seu pensamento começava a dar suas primeiras manifestações, por exemplo, ao mudar o termo paciente para cliente, proporcionando uma nova linguagem e forma de pensar sobre aqueles que ali estavam internados.

Pacientes não! Nós que devemos ser pacientes com eles, pois estamos a serviço deles. Eles são nossos clientes!

319783
Paciente sendo submetido a eletroconvulsoterapia 

Apresentada as técnicas de lobotomia e eletrochoque que começaram a ser introduzidas no hospital como forma de tratamento, Nise ficou completamente assustada e revoltada, não aceitando realizar tais procedimentos em seus clientes. A partir daí, ela é excluída do grupo médico e entregam a ela, a única opção de trabalho que seria a terapia ocupacional.

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

Longe da alta cúpula médica, e tendo como espaço de trabalho, uma ala abandonada, Nise modificou o tratamento psiquiátrico e fez daquela forma de isolamento que lhe foi imposta, um encontro de criação artística, um ateliê. Aconselhada por um enfermeiro e artista plástico, um novo método foi descoberto.

Paciente pintando

Através da arte, seu trabalho foi humanista e acolhedor para todos os seus clientes que estavam em situação de abandono e exluídos da sociedade. A palavra certa é AFETO, o carinho que ela tinha com seus clientes, fez a diferença, e não só ela proporcionou afeto, como também, ensinou para seus clientes que eles tinham que interagir e olhar o próximo.

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

Com as descobertas e melhorias no tratamento, Nise percebeu que o afeto também podia ser proporcionado através do contato dos clientes com os animiais de rua, que também eram abandonados e entravam no hospital buscando abrigo, ela chamava os cães e gatos de coterapeutas. Além disso, os pacientes foram encorajados por ela, a construírem um novo espaço para eles, fazendo plantações de flores nos fundos do hospital.

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

Meu instrumento é o pincel, o seu é o picador de gelo (se referindo ao instrumento utilizado para realizar a psicocirurgia de lobotomia)

Nise promoveu a cura pela arte, ela não só disponibilizava as tintas, mas também outros materiais, como a argila que foi manuseada e deu forma às belíssimas esculturas feitas pelo personagem Lúcio que era muito agressivo no começo do tratamento e depois de exteriorizar a sua agressividade, ele ficou mais tranquilo, sociável e deu um sentido ao estado emocional que se encontrava.

lucio
Lúcio modelando a argila

Além de tudo, os clientes puderam realizar atividades fora do ambiente hospitalar, fazendo passeios ao ar livre e junto à natureza do Rio de Janeiro, festas foram promovidas para desenvolver a socialização entre eles e novas vestimentas foram dadas, para que cada um descobrisse e construísse sua própria individualidade, deixando de lado os uniformes padronizados e homogêneos.

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

Nise deu voz ao inconsciente dos que ali estavam sem voz alguma, através da arte e suas imagens, o inconsciente se apresentava diante dela, o avanço deu tão certo que algumas das telas foram expostas em museus de arte internacionais, outras foram enviadas para Carl Jung (psiquiatra e psicanalista que desenvolveu o conceito de inconsciente coletivo) na tentativa de entender melhor as imagens circulares que foram pintadas. Segundo Jung, seriam mandalas que exprimiam a cisão e forças autocurativas que procuram reunir as rupturas, o caos produzido pela psicose, em formas de contorno harmonioso. Após isso, Nise passou a considerar a psicologia Junguiana no tratamento da esquizofrenia. 

nise-bernardo-carneiro-horta
exposição das imagens do inconsciente
045709
as formas circulares

Percebendo que seu trabalho com arteterapia estava trazendo resultados positivos, seus colegas de trabalho dominados pelo machismo, usaram formas cruéis para prejudicá-la, despertar o medo e conter ela, assim como faziam com os pacientes psiquiátricos, e parasse com o sucesso que não poderia ser construído por uma mulher que desafiou eles. Sofrendo tanta repressão e sabotagem, Nise mostrou que até mesmo os sãos enlouquecem e se descontrolam mediante a tanta violência psicológica e falta de liberdade realizadas através do abuso de poder.

NISE - o coração da loucura, imagens do inconsiente, Nise da silveira, arteterapia

O filme mostra superficialmente o contexto político da época de Nise e a luta que ela se envolveu, quem estiver interessado em saber toda a trajetória dela, comente comigo que faço um post somente sobre essa mulher que ainda é desconhecida por muitos de nós. Quem gostou, dá seu “joinha” ;)


Imagens – Google

 

Um comentário sobre “NISE – o coração da loucura

  1. Marcos

    Não conhecia o filme e a história da Dra Nise da Silveira. Achei muito intressante e pertinente, apesar de passados mais de 70 anos.
    A medicina avançou muito mas, ainda há muuto a conhecer. O comprometimento pessoal dos profissionais de saúde com seus pacientes é o mais importante em qualquer área.
    Atitude como a dela certamente minimizaria várias situações, principalmente no SUS, em que o melhor para o paciente é substituido pelo descaso amparado, normalmente, em normativas burocráticas, sem sentido, para quem esta sofrendo.
    Os problemas que pacientes neurológicos vêm enfrentando para tatar-se com Canabinol, é absurdo.

    Parabéns pelo site

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s