Documentário: Frágil Equilíbrio, com Pepe Mujica - blog de psicologia Melkberg - mujica - Pepe - Pepe mujica - documentário - frágil equilíbrio - documentário frágil equilíbrio

Documentário: Frágil Equilíbrio, com Pepe Mujica

Dirigido por Guillermo García López, o premiado Frágil Equilíbrio foi filmado durante três anos. Os dramas e dilemas centrais do documentário se passam na Espanha, Japão e Marrocos. A problemática dos três continentes é cristalizada pelas lúcidas reflexões de José Mujica (ex-presidente do Uruguai). “Pepe” expõe seu pensamento crítico abordando questões universais, os problemas urgentes que ameaçam a humanidade, os fundamentos do mundo em que vivemos e a fragilidade da vida dentro do contexto atual.

Documentário: Frágil Equilíbrio 

Os principais assuntos abordados neste documentário, são: imigração, crise econômica, consumismo, luta pela sobrevivência, alienação, identidade, liberdade, solidão, amor e morte. Não há ficção aqui, é mesmo um choque de realidade que nos atinge. Dor e angústia, os contrastes sociais e a pergunta final: Qual o sentido da vida?. Para nos auxiliar nessa questão, as reflexões de Pepe Mujica costuram um elo entre as narrativas e as imagens de Guillermo Garcia López.

ESPANHA

Vidas destruídas pelo poder econômico, crise do sistema, corrupção política e especulação imobiliária. Enquanto uns acumulam patrimônios, outros são despejados de suas moradias. Na Espanha, acompanhamos a dura situação de um trabalhador desassistido pelo Estado, que gastou todas as suas economias para cuidar da mulher com câncer, foi despejado de três apartamentos em Madrid e acabou virando morador de rua, não restou outra alternativa a não ser continuar a cada dia tentando se reerguer.

MARROCOS 

Situada na costa norte de Marrocos, em Melilha (cidade autónoma espanhola), jovens e adultos africanos diariamente tentam entrar ilegalmente na Europa em busca de uma vida melhor, mas são vítimas da repressão violenta que impede a busca da dignidade e a fuga da miséria e fome. Para escalar o muro da fronteira, colocam pregos na sola do tênis. Um deles machuca o olho, outro morre na travessia. Vemos também o retrato de uma mãe tentando desesperadamente fazer com que sua criança alcance o lado da prosperidade.

JAPÃO

Exatamente em Tóquio (cidade com maior PIB do mundo), dois executivos trabalham arduamente e refletem sobre suas existências. Por priorizarem a vida profissional, eles se sentem exaustos, solitários e vazios. Percebem o quão inútil têm sido seus esforços para conseguir sair do círculo vicioso de insatisfação em que se encontram“Comprei um carro para rodar pelas estradas e ir muito longe, mas ainda não rodei, em dois anos, nem dez mil quilômetros. Comprei uma casa, está organizada, mas não tenho tempo de ficar nela”. Um dos executivos conta visivelmente cansado que dorme duas ou três horas por noite apenas, já que precisa cumprir carga horária extra no trabalho. “Um amigo meu se matou dia desses. E eu às vezes penso nisso também”. 

Documentário: Frágil Equilíbrio, com Pepe Mujica - blog de psicologia Melkberg - mujica - Pepe - Pepe mujica - documentário - frágil equilíbrio - documentário frágil equilíbrio
Identidade
Documentário: Frágil Equilíbrio, com Pepe Mujica - blog de psicologia Melkberg - mujica - Pepe - Pepe mujica - documentário - frágil equilíbrio - documentário frágil equilíbrio
Sobrevivência
Documentário: Frágil Equilíbrio, com Pepe Mujica - blog de psicologia Melkberg - mujica - Pepe - Pepe mujica - documentário - frágil equilíbrio - documentário frágil equilíbrio
Solidão

Pepe Mujica 

Segundo Pepe Mujica, o mundo regido pelo mercado despreza a liberdade individual e extrai das pessoas o ânimo de viver. Dinheiro traz felicidade? O desequilíbrio entre o “ter” e o “não ter”, a desigualdade, marca do sistema econômico atual, está estampada em cada narrativa do documentário. Pepe Mujica não poupa críticas, discute sobre a crise dos refugiados e as relações trabalhistas. Conhecido por ter um estilo de vida simples e humilde, por defender os direitos humanos, o ex-presidente reage contra os governantes que administram seus países somente com intenção de perpetuar no poder.

Com uma disputa inútil pelo poder, não solucionamos os problemas da humanidade.

Mujica

Hoje há cada vez menos trabalhadores nas fábricas automatizadas, nos campos mecanizados, nas agências bancárias, lojas de departamento e supermercados. Em razão disso, ocorre a crescente onda de desemprego. Estamos caminhando para uma catástrofe, a civilização está gradualmente mais globalizada, os países mais interdependentes. Possuímos recursos, conhecimentos e os meios para vivermos em um mundo mais habitável, porém fazemos dele, um mundo mais egoísta. 

Nossos antepassados cruzaram mares e se arriscaram em viagens que poderiam não ter volta com o intuito de descobrir e colonizar terras. Desde tempos remotos, carregamos o sentimento de um prendedor dentro de nós e somos responsáveis por fazer grandes estragos. Queremos conquistas infinitas, entretanto não pensamos nas consequências, por exemplo, a matança que fazemos, extinguindo muitas espécies (fundamentais para a manutenção do ecossistema), habitantes do mesmo mundo que nós. 

A vida é um milagre, precisamos cuidar dela, ela tem uma dignidade infinitamente superior. 

Mujica

Quanto vale a sua vida? Para indústria farmacêutica pode valer muito dinheiro por mês. Tenha sorte e cuide dela para conseguir pagar a sua saúde, caso entre nas estatísticas de pessoas adoentadas que não tem acesso ao tratamento, não estou falando de cura, somente da possibilidade de minimizar as dores.

A sensação mais dolorosa deve ser estar próximo da morte e descobrir que não conheceu a vida, por não poder se permitir vivê-la. Poucos tem o privilégio de usufruir de bem-estar e tempo vago para se divertir, poucos entram em contato com o silêncio para pausar, refletir e colocar as ideias no lugar. Todas as coisas que possuímos e desejamos são trocadas por hora de vida-trabalho. 

Menos horas de sono e mais horas de estresse. O trabalho que se estende até a casa, excluindo a característica de lugar para descanso e para si mesmo. Estamos esquecendo nossa liberdade individual e sendo mais facilmente atacados pela frustração e infelicidade.

A solidão e os casos de suicídios se espalham nas grandes cidades. O dinheiro não compra tempo, mas gastamos nosso tempo com o dinheiro. A vida é o bem maior, ela não pode ser adquirida e se escapa de nós quando nem imaginamos. Saber errar é saber se levantar e continuar vivendo. Juntos precisamos nos agarrar a qualquer fio de esperança, traçar um novo caminho que possibilite um recomeço e futuro mais otimista para o mundo, distante da condição de frágil equilíbrio.

Independente de posição política, vale a pena assistir ao documentário Frágil Equilíbrio e aceitar o convite de Pepe Mujica para pensar sobre o nosso tempo presente e enxergar o mundo a partir de outra ótica. Se você gostou dessa dica, curta, compartilhe ou comente aqui embaixo :)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s