Sentimento de Inferioridade, complexo e sucesso

Conhecido como baixa autoestima, o sentimento de inferioridade nos acompanha desde os primeiros anos de vida. Ao lembrar de sua infância, é impossível você não ter se sentido em nenhum momento inferior a um adulto. O sentimento de que você não é capaz de realizar algo ou não está à altura de alguém, é normal acontecer. Porém, quando isso se torna uma postura adotada, presente em sua personalidade, que te impossibilita de realizar seus objetivos, nesse caso, não é saudável e deve ser corrigido.

Para saber se o seu sentimento de inferioridade é saudável ou não, é só fazer a pergunta abaixo a si mesmo e a resposta mostrará de forma clara e objetiva, como esse sentimento pode ser bom, mesmo que seja de inferioridade ou ruim que beira a autodestruição.

Quando você se sente inferior a alguém que admira, faz disso uma motivação para se aproximar desse modelo e consequentemente, se sentir melhor? 

(Resposta – SIM) Se você busca alcançar o que deseja, positivamente e distante do sentimento ruim, que é a inveja. Isso significa que você possui uma mente saudável e equilibrada, que consegue amenizar seu sentimento de inferioridade. Você tem a consciência de que ninguém alcança sucesso, sem antes levar um “não” e se frustrar em algum momento, então você sabe que também é capaz de conseguir. Quem não desisti e faz do sentimento de inferioridade um caminho para o sucesso, desenvolve junto o sentimento de confiança.

(Resposta – NÃO) Se você fica desanimado e se acha incapacitado ou tem a percepção de que o sucesso é carregado apenas de coisas positivas o tempo todo, você se torna mais suscetível de possuir um sentimento de inferioridade que não lhe trará nenhum ganho para o seu desenvolvimento e certamente, o complexo de inferioridade vai se formar em sua personalidade, te afastando e criando mais barreiras para conseguir o que deseja, se sentindo inseguro e inferior consigo mesmo. Isso que configura uma psique desequilibrada.

Quando você quer vencer um desafio e consegue superar, isso te move pra frente, num processo de crescimento psíquico contínuo. Já o complexo de inferioridade é grave e parece não ter fim, ou seja, você não consegue um alívio, só te puxa pra trás. Por exemplo: você possui uma deficiência física, mas acaba generalizando essa deficiência em todos aspectos do seu corpo e da sua mente, isso torna a sua personalidade desequilibrada e sempre aparece o sentimento de que você não é capaz de conseguir alcançar um objetivo. Desse modo, você para de desejar a busca de coisas novas, se colocando numa posição de acomodação.

Alfred Adler observou essa diferença dos sentimentos de inferioridade quando percebeu que existem deficientes físicos que carregavam consigo um traço de compensação, isto é, sua deficiência não produzia efeitos ruins quando a pessoa almejava algo e tampouco se sentia mal consigo mesma pela deficiência. Como os atletas paraolímpicos, eles enxergam sua deficiência física como uma motivação para buscar sempre a superação e alcançar realizações físicas maiores.

Outros pacientes de Alfred Adler, se sentiam derrotados por sua deficiência e não conseguiam fazer um esforço de melhora. Adler compreendeu que as diferenças entre seus pacientes eram reflexo do modo como esses indivíduos enxergavam a si próprios, ou seja, eram o resultado da sua autoestima.

A partir dessas observações, devemos: sempre buscar o equilíbrio entre o que queremos e o que podemos fazer; valorizar todas as nossas conquistas, desde as menores às maiores; descobrir sozinhos ou com a ajuda de um psicólogo para saber de onde surgiu o complexo de inferioridade e assim, poder elevar a autoestima e começar um processo de crescimento pessoal.

Lembrando que os excessos são disfuncionais e da mesma forma que existe complexo de inferioridade, existe também, o complexo de superioridade, que são aquelas pessoas que julgam os outros como inferiores à elas, mas na verdade, elas nunca estão felizes consigo mesmas e nem satisfeitas com suas realizações, elas estão constantemente de olho no sucesso alheio e buscando reconhecimento externo, não alcançam a autoconfiança e se tornam arrogantes e orgulhosas.

Ser humano é sentir-se inferior.

Alfred Adler.

 

Estou pensando em fazer uma continuação desse post, então se você gostou do assunto, deixe já o seu like, para que eu tenha uma resposta. Até a próxima pessoal! ;)

 

 

Imagens – Pinterest

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s