Sopro - Psicologia, arte & cultura Melkberg - sopro

Sopro

A vida é um sopro, mas as consequências de nossas decisões e indecisões, não. Elas perpetuam no tempo da eternidade quando tomamos a atitude errada ou quando permanecemos na indecisão, na incerteza provocadora do verdadeiro marasmo que corrói a mente como água salina do mar.

Nós somos um sopro. Berramos, beijamos, dançamos, divagamos nos pensamentos em que tudo é em vão, e o ontem é diferente de hoje e será também de amanhã, mesmo que não pareça, mesmo que tenha a percepção de lentidão.

Não há respostas claras, somente ecoa a repetição de acontecimentos, ora insignificantes ora relevantes e, uma série de coincidências indecifráveis à primeira vista, onde tudo se mescla, funde e perpetua novamente agora como um pesadelo, no qual embarcamos e não foi esquecido, um caso real que virou um caos e não foi resolvido.


Arte: “Ariadne”, do pintor inglês retratista Joshua Reynolds (1723-1792).

Um comentário em “Sopro”

  1. “As memórias do passado sempre voltam com as mesmas dores de antes”. Frase que aparece em uma das aberturas da animação Boogiepop Phantom 2000.
    Não importa o quanto você supere um trauma, o quanto seja forte, o quanto de conhecimento possa ter, as dores do passado continuaram nos assombrando.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s