Cleptomania – a compulsão em furtar

Cleptomania é um distúrbio psicológico raro, no qual a pessoa furta por impulso diversas coisas, inclusive objetos sem valor. A pessoa portadora desse distúrbio não reconhece os limites dos atos que pratica. Ao observar determinado objeto, o cleptomaníaco sente uma necessidade incontrolável de furtá-lo, devido a grande ansiedade antecipatória do ato.

Geralmente os objetos mais escolhidos são os de menor tamanho, desnecessários ao uso pessoal e possuem baixo valor monetário. Ou seja, o que atrai os cleptomaníacos é somente saciar a vontade de furtar.

Após conseguir o objeto, o cleptomaníaco sente extremo alívio, prazer e satisfação, porém junto a isso ocorre seguidamente um sentimento de fracasso total por não ter conseguido resistir ao ato e uma forte sensação de arrependimento, alguns chegam até a devolver o objeto, mas isso não impede que ele volte a furtar.

O psiquiatra suíço Andre Matthey foi o primeiro a utilizar o termo ‘klopemanie’ para descrever os ladrões que roubavam impulsivamente itens desnecessários devido à insanidade.

Anos depois, os médicos franceses, Jean Etienne Esquirol e C.C. Marc alteraram a palavra para ‘kleptomanie’, para descrever o comportamento caracterizado por impulsos irresistíveis e involuntários. Segundos eles, a pessoa com ‘kleptomanie’ era então “forçada a roubar” devido a uma doença mental e não devido à falta de consciência moral.

Somente a partir dos anos 50 que a cleptomania foi reconhecida pela Associação de Psiquiatria Americana como uma doença mental e só nos últimos 15 anos os trabalhos científicos nesta área confirmaram realmente como um transtorno psiquiátrico.

Cleptomania - a compulsão em furtar - blog de psicologia Melkberg

A conduta do cleptomaníaco não é motivada para expressar raiva ou vingança, seria um comportamento inconsciente que estaria ligado a outros problemas psicológicos, como a depressão e a ansiedade.

O comportamento é muito difícil de ser tratado, geralmente os cleptomaníacos não procuram ajuda e são encaminhados aos consultórios clínicos pelos próprios familiares ou por alguma autoridade quando são pegos em flagrante. O tratamento pode ser feito à base de medicamentos e com terapia cognitivo comportamental, o indicado seria aprender a controlar o impulso ou então, substituí-lo por um comportamento não destrutivo.

A cleptomania pode ser encontrada tanto em homens como em mulheres, porém há uma ocorrência maior em mulheres, talvez pelo fato delas buscarem mais ajuda especializada do que os homens.

É difícil falar em cura, mas existem casos de pacientes que melhoram e têm remissão completa dos sintomas. Esse distúrbio causa muitos problemas legais, sociais, ocupacionais e familiares, resultando em vergonha e culpa intensa. Apesar das consequências, a cleptomania ainda é pouco estudada, mal compreendida e carregada de preconceitos.

Cleptomania - a compulsão em furtar - blog de psicologia Melkberg - cleptomania - furtar - objeto - comportamento - distúrbio - cleptomaníaco

 

 

Imagens – Pinterest

2 comentários sobre “Cleptomania – a compulsão em furtar

  1. Sim, acredito que o Cleptomaníaco vive uma carência em alguma área de sua vida que a adrenalina em furtar e acumular objetos de outras pessoas, lhe dão momentaneamente um sentimento de prazer e falsa sensação de preenchimento. Muito obrigada, Juliane! Abraços!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s