A nova divisão do psiquismo para Freud

Como prometido anteriormente, aqui está a “segunda tópica” de Freud.

Lembra do Iceberg de Freud ? Então, a partir da prática no consultório, Freud viu a necessidade de criar um novo modelo de funcionamento da mente que complementasse a “primeira tópica”. Isso se deu pela observação das resistências do “ego” do indivíduo durante a análise, se opondo a tomada de consciência para possível cura.

Agora as três instâncias principais para entender a mente, serão: Ego, Superego e Id.

EGO surge a partir da interação do indivíduo com a realidade. Atinge as três instâncias no exemplo do iceberg (consciente, pré-consciente e inconsciente) é o negociador que busca o equilíbrio da mente, entre as exigências do id “a reserva de pulsões” e do superego “crítica da consciência”. O resultado disso é uma tensão conflituosa experimentada no inconsciente que exerce uma influência duradoura na formação da personalidade.

ID responde as necessidades básicas do indivíduo ao nascer. Possui equivalência topográfica com o inconsciente visto na primeira tópica é formado pelos impulsos primitivos e obedece ao Princípio do Prazer, isto é, todo o desejo deve ser imediatamente satisfeito.

Porém, como o ego atua pelo Princípio da Realidade, ou seja, não podemos ter tudo o que desejamos e devemos considerar o mundo em que vivemos. Assim, o ego tenta negociar com o id para realizar seu desejo sem causar danos terríveis, já que na estrutura do id tudo é permitido, não há leis nessa instância.

É nesse momento que aparece o Superego..

SUPEREGO ou ideal do ego controla o ego e também normatiza as pulsões do id, atingindo o nível pré-consciente e inconsciente. É a voz internalizada dos pais e da sociedade civilizada, é a moral, a fonte do julgamento, da consciência, culpa e vergonha. Conhecido como o herdeiro do complexo de Édipo, essa instância é estruturada por processos de identificação com o superego dos pais.

A consciência moral é incorporada na interiorização das ordens e proibições vindas pelas autoridades e o conflito entre as exigências dessas figuras superiores e nossas realizações (do ego) resulta no sentimento de culpa experimentados por nós de forma inconsciente.

A nova divisão do psiquismo para Freud - Melkberg - psicologia - ego - superego - Freud - id - segunda topica

Por fim, podemos exemplificar o seguinte: Se o seu ego se submeter as vontades do id, certamente você ficará satisfeito de imediato e após isso se tornará imoral e destrutivo. Já um ego que prevalece a vontade do superego, tornará você alguém correto, porém insatisfeito pelos seus desejos instintivos.

Ficou na curiosidade pra saber o que é complexo de Édipo?

Comenta aí ; )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s